quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Ano duro, balanço positivo


Final de ano é época de prestar contas. Quero, portanto, neste espaço, falar do que o Sindicato dos Metalúrgicos realizou no período. Foi um ano ruim na economia, conturbado na política e repleto de ataques aos direitos dos trabalhadores.

A primeira orientação em nosso Sindicato foi sobreviver. E digo sobreviver primeiro financeiramente, pois o governo cortou praticamente todas as nossas fontes de receita.  Ainda assim, com imenso sacrifício, sobrevivemos.

Mas a implacável onda de ataques aos trabalhadores e às entidades não nos intimidou. Durante todo o ano o Sindicato marcou presença na base, com ações cotidianas: assembleias, negociações, acordos de PLR (Participação nos Lucros e/ou Resultados), acordos por empresa e, no final de novembro, a renovação das Convenções Coletivas da categoria, reajuste acima do INPC e pagamento de dois abonos salariais.

Avanços - Fechamos mais acordos de PLR nas fábricas, muitos deles com aumento real; conseguimos ampliar a sindicalização; aumentamos nossa rede de serviços, convênios e benefícios aos sócios; conseguimos acordos com ganhos efetivos, como acaba de ocorrer na empresa Croma (Vila Aeroporto), onde foi reaberto o refeitório e houve reforma completa dos vestiários, beneficiando 150 trabalhadores. Destaco, ainda, a ação ativa por saúde no trabalho e as campanhas contra o câncer de próstata e de mama.

Futuro - Fazer o balanço é importante. Mas devemos, também, tratar do futuro. Por isso, lançamos a campanha “PARA TODOS”, pela qual mobilizamos a categoria na busca de cesta básica, café da manhã, convênio médico e PLR. Com isso, queremos elevar o padrão de benefícios nas fábricas, o que ajudará a melhorar a qualidade de vida da família metalúrgica.

Geral - Nosso Sindicato participou de todos os atos unitários e mobilizações organizadas pelas Centrais. O sindicalismo combate o modelo neoliberal adotado por Bolsonaro e radicalizado pelo ministro Paulo Guedes, da Economia. E combatemos porque o modelo ultraliberal quebra a indústria nacional, fragiliza o mercado interno e põe o Brasil de joelhos frente às potências.

Jango - Neste final de ano, 91 milhões de brasileiros receberão o 13º salário, cuja soma deve superar R$ 214 bilhões, segundo o Dieese. O antigo abono natalino pago então a umas das poucas categorias hoje é direito de todos. Devemos, ao receber esse décimo terceiro pagamento, fazer justiça à historia e relembrar que o autor da lei que sacramentou esse direito, em 1962, foi o Presidente João Goulart - Jango. Viva Jango e todos os governantes que pensam no povo!

Direitos Humanos são conquista civilizatória


Assim começa a Declaração dos Direitos do Homem, que em 10 de dezembro completou 71 anos: “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade”.

Se esse princípio da Declaração fosse respeitado, teríamos um mundo melhor para todos. E por que não temos? Muito se deve ao próprio desconhecimento da própria Declaração.

Também se deve ao fato de que a imprensa marrom e os políticos desonestos desvirtuaram o conceito, enganando a população com o discurso de que “defender direitos humanos é defender bandido”. E não é nada disso.

Portanto, vamos saudar os direitos humanos e cuidar para que seus princípios sejam respeitados, na prática.

Leia a íntegra da declaração clicando aqui.

terça-feira, 10 de dezembro de 2019


Parabéns, Feeder!


Estive no ginásio do nosso Clube de Campo no último domingo (8), pra acompanhar a final do 15º Campeonato de Futsal dos Metalúrgicos.

Fiquei feliz com o que vi. Ambiente agradável, muitos torcedores, muitas crianças, famílias e amigos. Foi um domingo de sol e muita animação. Nossa lanchonete estava cheia. Os metalúrgicos aproveitaram o belo dia e realizaram uma linda confraternização. A vida não é só trabalho.

Assisti atentamente ao jogo final, ao lado de minha mulher Vera. E que disputa. Foi uma bela partida, com muita emoção e decidida nos pênaltis. A Feeder levou o troféu pra fábrica. Merecido. Mas não posso deixar de parabenizar também a Dyna, que chegou à final com muita honra.

Ao final da partida, muita comemoração. Pelos dois lados. Os adversários se abraçaram, mostrando respeito e companheirismo.

Que tenhamos mais finais de semana como esse. Mesmo com todas as dificuldades, com o governo retirando nossos direitos, enganando o povo, temos que continuar a luta. Além das quadras, nossa disputa tem que ser também por manter os nossos direitos. Vamos correr atrás disso!

Parabéns, Feeder! Parabéns, Dyna! Parabéns, família metalúrgica!